Rodoanel Mário Covas se tornou o trecho de maior incidência de ataques a motoristas nas rodovias paulistas.

São dezenas de casos que fazem do Rodoanel uma espécie de Faixa de Gaza desse tipo de crime, em especial nos trechos que passam pelos municípios de Carapicuíba, Osasco (oeste), São Bernardo e Santo André (sul). Para se ter uma ideia da dimensão desses números, a quantidade de roubos nos 123 km do Rodoanel é o dobro da verificada nos 173 km da rodovia Bandeirantes (17 casos).

A grave situação levou o governo paulista a alterar, em outubro passado, o sistema de policiamento da rodovia. Na ocasião, criou uma companhia da Polícia Militar, com cerca de 240 homens, destinada exclusivamente a essa estrada. Ocorre que, ao longo da rodovia, em especial nos trechos oeste e sul, há uma série de novas comunidades com fácil acesso à via. Muitas delas são moradias precárias erguidas em áreas invadidas.

Os criminosos costumam atirar pedras. A Polícia Rodoviária recomenda aos motoristas de carros atingidos por pedradas, que não parem o veículo, tente prosseguir até uma base da polícia.  A polícia pede também para que os cidadãos façam boletim de ocorrência dos ataques, o registro é importante para identificar o local e mobilizar o policiamento.