Quando tudo o que nos resta é a esperança

Mais um ano se passa, mais um ano em que os moradores de Rio grande da Serra vivem apenas de falsas expectativas e desilusões. Se por um lado, o povo tem esperança de que a cidade vai parar de viver um completo coronelismo e avançará em políticas públicas reais para a população, por outro, existe uma classe política que pensa somente em sí, e que também se curva às regras da velha política, que apenas beneficia àqueles que fazem parte dela e de um grupo selecionado de pessoas.

Continua após a publicidade.

Um exemplo disso são os vereadores da Câmara de Rio Grande da Serra, que em um ato totalmente egoísta, votou contra o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e aprovou as Contas de Gabriel Maranhão (Sem Partido), do exercício de 2014. Foram diversas irregularidades apontadas pelos profissionais que fiscalizam as movimentações financeiras dos Prefeitos do estado e, mesmo assim, no intuito de manter as alianças, articulações políticas e as benesses que podem ter, foram contra os diversos erros apontados e aprovaram as contas de Maranhão.

Algo bem parecido pode estar ocorrendo também em Ribeirão Pires. O ex-prefeito da cidade tem articulado para tentar anular a sessão que o tornou inelegível desde maio do ano passado. Com o intuito de manipular as informações, nos últimos dias apoiadores de Volpi divulgaram através das redes sociais que a justiça teria ordenado o cancelamento da sessão que o tornou inelegível. Apenas uma articulação para manipular a cabeça da população e a opinião pública. A verdade é que os próprios vereadores decidiram anular a sessão. Por qual o motivo? Não se sabe, mas o que me resta é apenas o desejo e o sonho, talvez distante, de que um dia a política seja feita para o povo e não apenas para aqueles que governam.

Notícias relacionadas