Um pedido feito pela bancada petista na Assembleia Legislativa de São Paulo, fez com que a Juíza Simone Viegas de Moraes Leme, da 15ª Vara da Fazenda Pública, decidisse pela suspensão do aumento das tarifas do transporte. Essa declaração causou transtornos aos responsáveis pelo transporte, que chegaram a apresentar números grandes em relação ao prejuízo de cada setor. O impacto financeiro, segundo o Governo do Estado, pode chegar a R$220 milhões, sendo que o Metrô teria um prejuízo de R$115 milhões, 77 milhões de reais para a CPTM e mais 28 milhões de reais para a EMTU.

\"CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE\"

Sobre o caso dos reajustes no Grande ABC o Desembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, disse que “no caso presente, a decisão questionada entendeu que a redução do desconto que beneficiava significativa parcela dos usuários do transporte público metropolitano, em especial aqueles que utilizam o sistema integrado, e que resultou em reajuste bem acima dos índices inflacionários, não foi devidamente justificada”.

Resumindo a situação, as tarifas, a partir da tarde desta sexta-feira (13), voltaram por tempo indeterminado, aos valores anteriores. As empresas afetadas ainda terão a chance de impetrar recursos para tentar reverter a decisão.