Por Juzz Ravasio*

Tendões são fibras resistentes agrupadas, que se situam entre nossos músculos e ossos em todas as partes “dobráveis” do nosso corpo.

Às vezes esses tendões podem sofrer algum tipo de inflamação, causando a tendinite, que pode ter duas causas: a mecânica e a química.

Atividades repetitivas como a digitação podem ocasionar a tendinite (foto: Marcos Santos/USP Imagens).
Atividades repetitivas como a digitação podem ocasionar a tendinite (foto: Marcos Santos / USP Imagens).

A causa mecânica é provocada por esforços prolongados e repetitivos, além de sobrecarga; e a causa química é provocada por alimentação incorreta e por algumas toxinas presentes no organismo. Também pode ocorrer quando os músculos e tendões não estão sendo suficientemente drenados, ocasionando a desidratação.

Os sintomas da tendinite são as dores, que podem incapacitar a realização de alguns movimentos simples, como caminhar, subir e descer escadas, escrever, digitar, entre outros. Para prevenir, é preciso manter uma alimentação saudável, evitar movimentos repetitivos e praticar exercícios físicos.

A prática de exercícios é uma maneira eficaz de se ver livre da tendinite (foto: Marcos Santos/USP Imagens).
A prática de exercícios é uma maneira eficaz evitar e amenizar a tendinite (foto: Marcos Santos / USP Imagens).

Atividades e exercícios como a musculação, a hidroginástica, o treino funcional e outros esportes ajudam exatamente a fortalecer músculos e tendões, fazem com que o indivíduo realize movimentos diversos e de compensação. Exercícios que envolvam a coordenação e o uso igualitário dos dois lados do corpo (esquerdo e direito) também contribuem bastante.

Para tratamento, recomendam-se, além dos já citados (inclusive a musculação), uso de anti-inflamatórios e fisioterapia. 
E lembre-se: quando o tratamento não é feito adequadamente e a fisioterapia não é feita pelo tempo determinado pelo profissional médico, podem ficar algumas sequelas e, no pior dos casos, levar até a um rompimento do tendão, que causa muitas dores e incapacidade de realizar movimentos!

Educadores físicos, nutricionistas, fisioterapeutas e médicos são essenciais para a prevenção e tratamento! 
Procure-os, sempre!

 

* Educadora Física (CREF nº 065511-G/SP) especialista em Personal Training e Fisiologia do Exercício pela FEFISA. Juntou-se à equipe do Diário para trazer informações sobre saúde e condicionamento físico.