A sessão da Câmara Municipal da última quarta-feira (22) tomou rumos inesperados. Vereadores de Ribeirão Pires dedicaram cerca de uma hora para criticar duramente a atuação da imprensa na cidade, especialmente os profissionais deste veículo de comunicação, o Diário de Ribeirão Pires.

Dentre as acusações, alguns vereadores – bastante alterados – usaram a tribuna para chamar o trabalho jornalístico em Ribeirão Pires de “sem caráter”, sugerindo que os jornalistas da região mentem sobre a atuação dos profissionais da Casa.

A atitude dos vereadores é uma resposta solidária ao vereador Rubens Fernandes da Silva, o Rubão (PMDB), após a publicação de matéria do Diário (com foto e vídeo), em que ele aparece segurando um pacote de feijão enquanto brinca com o protesto dos professores.

Vereador Rubão teria ironizado o protesto (foto: Rafael Ventura / DiárioRP).
Vereador Rubão teria ironizado o protesto (foto: Rafael Ventura / DiárioRP).

Naquela oportunidade, Rubão, alterado, chegou a levantar-se para discutir, mas precisou ser contido. Nas imagens, era possível ver Rubão ironizando o protesto e gesticulando com o pacote de feijão em mãos. As fotos e o vídeo rapidamente circularam pelas redes sociais e causaram revolta de internautas.

Na quarta passada, Rubão equivocadamente atribuiu a responsabilidade dos comentários nas redes sociais aos jornalistas do Diário de Ribeirão Pires. O vereador Flávio Gomes (PPS) ainda exigiu retratação por parte da imprensa. Ambos negaram ter feito piada com a situação dos professores.

O vereador Silvino de Castro (PRB), comentando a polêmica do feijão, disse ter se sentido ofendido pelo professor que depositou os pacotes de alimento sobre a bancada: afirmou ser autoridade e exigiu respeito. Também equivocando-se, acusou os jornalistas do Diário de Ribeirão Pires de terem se referido aos membros da Casa com a expressão “cambada de vereadores”. Nossa equipe não encontrou esses dizeres em nenhuma das matérias até hoje publicadas aqui.

O vereador Renato Foresto (PT), discordando dos colegas, afirmou que não se sentiu ofendido com o protesto inusitado, e chamou a atenção para o fato de os vereadores serem pessoas públicas e, portanto, sujeitas à crítica popular.

Após uma hora da quebra de protocolo, o Presidente da Casa, José Nelson de Barros (PSD), deu sua opinião sobre o assunto antes de encerrá-lo oficialmente:

“Já consegui chegar [ser eleito] cinco vezes, e, se não ganhar mais também, paciência, eu não vou morrer. E não é por causa de jornalista ou Facebook que eu vou ficar preocupado.”

– concluiu.

 Procurado por nossa equipe, Rubão afirmou que está buscando a melhoria da qualidade dos produtos. Quanto à sua reação aos protestos, explicou que ficou exaltado porque citaram seu nome.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo (SJSP) repudiou os ataques proferidos pelos vereadores, e afirmou que os fatos ocorridos na Câmara de Ribeirão Pires serão encaminhados ao departamento jurídico do sindicato para as devidas providências:

“Repudiamos qualquer tentativa de cercear a atuação do profissional de imprensa e defendemos a liberdade de imprensa, que é o direito de o jornalista informar o público.”

– disse José Eduardo Souza, diretor do SJSP.

O Diário de Ribeirão Pires manifesta sua solidariedade aos demais profissionais de comunicação direta ou indiretamente atingidos pelas críticas proferidas na Câmara Municipal esta semana, e, reafirmando sua independência e seu compromisso com a divulgação da verdade, garante que não se sujeitará ao autoritarismo nem sucumbirá às pressões de interesses políticos.

O acesso à informação é um direito de todos, e dever da imprensa – que não pode compactuar com a censura. O Diário informa, ainda, que não administra grupos de discussão no Facebook, mas que não se opõe ao debate e à liberdade de expressão, e também se solidariza para com os cidadãos que, sem a oportunidade de se defenderem, foram atacados na sessão da Câmara por manifestarem seu pensamento na Internet.

Reveja o vídeo da discussão: