Por Rafael Ventura

 

UPA Sta LuziaO Governo Federal, através do Ministério da Saúde, assumiu um pré-compromisso com a Prefeitura de Ribeirão Pires para custear 70% do Complexo Hospitalar da cidade.

O Complexo Hospitalar, que está em construção desde 2008, depois do investimento de R$ 14,4 milhões pelo Governo do Estado, está praticamente no “esqueleto”. Em 2013, após a Prefeitura alegar dificuldades financeiras, as construções foram paralisadas, e a administração luta por mais R$ 7,3 milhões junto ao Governo Estadual para a conclusão da obra.

Para o Prefeito Saulo Benevides (PMDB), a principal preocupação é o custeio de manutenção do complexo, já que custaria cerca de R$ 36 milhões anuais:

“Não temos condições de custear esse montante com recursos próprios. Então, no fim do ano passado, tivemos uma audiência com o ministro [da Saúde] Arthur Chioro [PT]. Temos um pré-compromisso de que, assim que inaugurarmos, eles vão arcar com 70% do custeio”, diz Saulo.

Ainda de acordo com Saulo, que está confiante com a liberação da verba estadual para conclusão do complexo, as obras podem ser retomadas já no próximo semestre, e a agilidade será uma das exigências da nova licitação, que contratará uma nova empreiteira.

De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado, caso o pedido seja deferido, será firmado novo convênio para a continuidade do investimento: “Assim, teremos um novo hospital em 2016”, afirmou o chefe do executivo.

O hospital servirá como unidade de saúde de auxiliar para o atendimento de emergências prestado pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Quando necessário período maior de permanência, os pacientes serão transferidos para a internação nas dependências do complexo.