Por Rafael Ventura

Reprodução/FacebookA Justiça Eleitoral deferiu, hoje, o registro da candidatura de Vanessa Damo, candidata a deputada estadual pelo PMDB; e determinou que os 80684 votos que foram para a parlamentar, na eleição deste ano, sejam contabilizados.

Com esta decisão, proferida pelo Ministro Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Vanessa passa a ser a sexta deputada eleita pelo PMDB paulista.

A deputada usou as redes sociais para dizer que ficou aliviada e que sempre confiou na justiça:

“Sempre confiei que a Justiça seria feita. Mais uma vez, fica claro que não cometi irregularidade na eleição municipal de 2012. A minha inocência está provada. Meu compromisso é continuar trabalhando firme pelo bem da população do Estado de São Paulo.”.

 

 

Entenda o caso

Vanessa é acusada pelo prefeito de Mauá, Donisete Braga (PT), de ter confeccionado material falso na eleição de 2012, relacionando-o ao assassinado do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel (PT). O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE) acatou a denúncia, e entendeu que houve abuso de poder econômico e o uso indevido de meios de comunicação, condenando a candidata à perda dos direitos políticos por oito anos.

Ao analisar o registro de candidatura de Vanessa para as eleições de outubro, o TRE-SP levou em consideração a ação movida por Donisete contra a deputada estadual, que nega as acusações. Por isso, seu projeto eleitoral foi indeferido pela Justiça Eleitoral, mas ela pôde concorrer normalmente enquanto o processo não tivesse transitado em julgado, ou seja, encerradas todas as possibilidades de recurso.

 

Veja Também:
Vanessa Damo é acusada de não honrar pagamentos