O jovem de 17 anos que na semana passada foi atingido por uma facada no rosto passa bem e está se recuperando dos 10 pontos que levou na bochecha, sendo 5 externos e os outros internos.

Segundo a mãe do menor, ele voltava da escola com um grupo de amigos, quando esbarrou em outro grupo que vinha na direção contrária. Após trocarem algumas ofensas verbais e empurra-empurra, deixaram o local e continuaram andando sentido a região da ETEC, onde o menor reside com sua família. Quando os jovens já estavam próximos da Rua Miguel Prisco, foram surpreendidos novamente pelo outro grupo. Ao questionar o motivo de estarem sendo seguidos, um deles atingiu o jovem por trás com uma facada no rosto, quando em seguida os amigos da vítima espancaram o agressor com socos e chutes, mas o deixaram fugir para prestar socorro ao amigo. Patrícia Paim, mãe da vítima afirma que seu filho não conhecia o outro jovem, que tem 15 anos e que no primeiro encontro já havia o deixado para trás, pois não queria brigar, já que o outro aparentava ser mais novo: “ Meu próprio filho disse para ele ir embora porque ele não queria arrumar briga”, disse à reportagem.

De acordo com o delegado Sérgio Francisco dos Santos, foi uma briga generalizada e a ocorrência já seguiu normalmente para o fórum, onde aguarda determinação da justiça.

Procurada pela reportagem, a mãe do agressor, que se identificou apenas como Dulcimara, negou-se a comentar sobre o ocorrido.