No último sábado (22), cerca de 3 mil pessoas prestigiaram o I Festival das Juventudes “Junta Todo Mundo”, realizado durante todo o dia na Vila do Doce e Praça Central da Estância Turística de Ribeirão Pires. Com entrada gratuita, o evento reuniu diversas manifestações culturais como street dance e ballet, Batalha Clandestina, DJ’s, teatro, exposição de Boombox, sarau, poesia, e o grupo PrimeiraMente, que encerrou a programação.

A estudante Maria Eduarda Lourenço, de 15 anos, da Escola Estadual Professora Maria Pastana Menato, do bairro Santa Luzia, ao lado de outros alunos, levou para o evento o projeto Aorta. “Sou estudante do primeiro ano e estou no projeto desde março. Nós desenvolvemos habilidades como comunicação e participação em diversos trabalhos, a exemplo da arrecadação de roupas e alimentos, e o sopão que fizemos para moradores de rua”, explicou Maria.

“Ajudamos na organização do evento e convidamos, por exemplo, as apresentações de ballet, capoeira, sarau e poesia. O objetivo foi reunir pessoas de diferentes religiões, culturas e gêneros. O espaço é para todos. É para realmente juntar todo mundo”, finalizou a moradora.

O 1º Festival das Juventudes –”Junta Todo Mundo” foi promovido em parceria entre o Poder Público, por meio da Casa da Juventude, ligada à Secretaria de Participação e Inclusão Social, e movimentos culturais e sociais ligados aos jovens do município. Estavam envolvidos na ação movimentos UJS, Território Livre FM, UMES, Batalha Clandestina, Um Gol para a Vida Toda, Aorta, Mosaico Produtores, Mulheres na Trincheira, AGRUPAR e Nação Hip Hop.

Danielle Silveira, de 29 anos, integrante do movimento AGRUPAR, destacou a importância da participação do jovem em políticas públicas para a transformação da cidade. “É preciso que os jovens ocupem os espaços públicos e tragam manifestações artísticas e sociais. É preciso que entendamos que o espaço público também nos pertence e podemos zelar por ele”, afirma.

“O Festival das Juventudes tem o objetivo de aproximar jovens do Poder Público, para que possamos entender as demandas e discutir políticas voltadas a este segmento. Após unir essas juventudes da cidade, queremos realizar o Fórum e reativar o Conselho da Juventude”, explica Elza da Silva Carlos, secretária de Participação e Inclusão Social. “Espero que este Festival nos aproxime desse público definitivamente, para que as parcerias continuem e gerem muitos frutos”, finaliza.