CETESB e Eletropaulo informaram que a Prefeitura não possui licenças necessárias. (Foto: Ygor Andrade/DiárioRP)
CETESB e Eletropaulo informaram que Paço não possui licenças necessárias. (Foto: Ygor Andrade/DiárioRP)

Após a Secretaria de Turismo do Governo do Estado de São Paulo desmentir o Prefeito Saulo Benevides (PMDB), que havia dito em entrevista coletiva que as obras do Teleférico foram paralisadas por falta de repasses, enquanto de acordo com a Pasta, a falta de documentação necessária foi o principal motivo que levou a paralisação do empreendimento. Agora foi a vez da CETESB e da Eletropaulo contrariarem as afirmações do Paço.

Durante o bate-papo com a imprensa, o Secretário de Obras, José Agnello, junto ao Chefe do Executivo, afirmou que toda a documentação necessária para a realização das obras foram obtidas.

continua após a publicidade

“Por várias vezes nós fomos surpreendidos dizendo que nós não tínhamos licenças ambientais, mas todas elas estão aqui. Está tudo licenciado.”

– Afirmou Agnello.

Contudo, fora as licenças obtidas com a CPTM em abril deste ano, a CETESB, órgão responsável pela liberação ambiental e a Eletropaulo negaram qualquer autorização ao Paço Municipal para a realização do Teleférico.

O Departamento da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo informou que:

Segundo a nossa Agência Ambiental do ABC, a prefeitura ​de Ribeirão Pires ​não protocolou​, até o momento, ​nova solicitação de Intervenção em APRM-B Alvará e supressão de vegetação nativa​,​ para​​ a implantação de Teleférico​. ​Lembrando ainda que o processo 16/10550/15 que tinha como finalidade a intervenção citada foi arquivado por falta de informações/documentos.

Já a empresa de fornecimento de energia elétrica, através de nota ao DiárioRP, comunicou que a Prefeitura não apresentou projeto executivo para avaliação da concessionária.