Conselho Tutelar e GCM fecham baile funk na Quarta Divisão

Foto: Diego Alves/DiárioRP

A Prefeitura de Ribeirão Pires realizou uma operação especial na madrugada do último sábado (3). Foram diversos departamentos do órgão unidos para fiscalizar um baile funk que ocorria em uma chácara no bairro da Quarta Divisão. As Secretarias de Trânsito, meio Ambiente, Segurança Pública e o Conselho Tutelar participaram da operação.

Segundo os agentes da Guarda Civil Municipal, havia uma denúncia de que menores de idade estariam dentro do local, que vende bebidas alcoólicas, portanto é proibido por lei. Já para a secretaria de Meio Ambiente, a documentação de funcionamento do local poderia estar em atraso. A secretaria de trânsito multou veículos estacionados irregularmente em uma via pública.  Uma motocicleta com o chassi raspado foi apreendida em uma rua próxima da festa.

Ao chegar no local, foi constatada a presença de sete menores de idade, o que fez o representante do Conselho Tutelar fechar o estabelecimento naquele momento. No entanto, como toda a documentação aparentava estar em dia, o local pode continuar funcionando normalmente em outros dias e não foi autuado pela fiscalização. Apenas foi aplicado uma notificação sobre o volume do som estar acima do limite permitido. Ouvido por nossa equipe, o organizador da festa afirmou que “os sete menores podem ter entrado na festa portando Documentos falsificados, já que existe existe esquema de segurança no local”, mas que vai fortificar a checagem.

Os menores, no entanto, foram liberados pelo Conselho Tutelar, e foram diretamente para um outro evento que acontecia no Centro Hípico Amarelinho. Por não haver mais transporte público, todos os frequentadores da festa, inclusive os menores, foram caminhando pela Estrada do Sapopemba, perigosa via da cidade. Ao chegar no local, a equipe do DiárioRP pode observar que os seguranças do Amarelinho não solicitaram o documento dos menores, que entraram normalmente no estabelecimento mesmo sem portar qualquer documento.

A Prefeitura de Ribeirão Pires não informou se vai continuar com as operações.

 

Atualização – 16h:10

Um representante do Centro Hípico Amarelinho entrou em contato com nossa equipe e afirmou “ser totalmente contra a entrada de menores no estabelecimento e que trabalham arduamente para que diminuam-se os casos. O proprietário disse ainda que, o único caso em que são permitidos menores de idade na casa, são casos onde existe um responsável acompanhando ou que assine documento permitindo a entrada. Nos dois casos, vendas de bebidas alcoólicas para esse público são extremamente proibidas, segundo regras do próprio Amarelinho”.

Notícias relacionadas