Semana pode marcar a prisão do ex-presidente Lula

Luiz Inácio Lula da Silva (PT), popularmente conhecido como Lula, passará por uma semana decisiva tanto em sua vida política quanto na vida pessoal.

O ex-presidente da república foi condenado em Maio do ano passado a 9 anos e 6 meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro, por possíveis irregularidades cometidos pelo ex-presidente na época em que ainda estava a frente do país. Como a condenação foi em primeira instância, os advogados de Lula recorreram e, nesta quarta-feira (24), ele será julgados por três desembargadores em segunda instância, podendo ser absolvido, ter sua pena mantida e, dependendo do que for entendido pelos juízes desembargadores, ele pode até ter sua pena aumentada.

Lula foi condenado pelo possível recebimento de um triplex no Guarujá dado pela empresa OAS em troca de ter fornecido alguns benefícios a ela.

Os advogados de defesa alegam que o juiz Sérgio Moro não tem provas concretas de que Lula cometeu este crime, mas por alguns motivos ele agiu de maneira parcial e decidiu condenar o petista, tendo apenas conteúdo recebido através de delações premiadas como provas, o que, segundo os próprios advogados, não significa ser verdade, levando em consideração que os delatores estão em posição de criminosos ao deporem.

Dependendo de como ocorrer o julgamento e como for a votação, Lula pode ser preso esta semana, mas especialistas não acreditam que isso ocorrerá agora, caso sua condenação seja mantida.

Lula também está correndo grande risco de não poder concorrer para as eleições presidenciais marcadas para Outubro deste ano pela lei da ficha limpa (caso condenado ele pode se tornar ficha suja), aonde aparece em primeiro lugar nas intenções de votos da população, seguido pelo polêmico jair Bolsonaro(PSL).

Notícias relacionadas