Afinal de contas, o que é prioridade?

O Brasileiro, por si só, tem o péssimo hábito de não estipular corretas prioridades para si. É cotidiano vermos que as vezes, mesmo passando várias necessidades diárias, algumas pessoas decidem, mesmo assim, investir em objetos caros, como celulares, carros, roupas, entre outros. As vezes, esse péssimo hábito, que é de todos nós, pode ser visto também na administração pública.

Não é preciso ir muito longe para ver isso acontecendo. Claro que as proporções podem ser diferentes, mas a atitude em si, continua sendo a mesma.

Em Ribeirão Pires, por exemplo, não há muito tempo, um antigo prefeito queria construir um teleférico na cidade. No entanto, o que veríamos lá de cima seria um total abandono de todo o município, já que nem sequer asfalto de qualidade haviam nas ruas.

Atualmente, podemos ver a mesma coisa acontecendo em Rio Grande da Serra. Me desculpem os moradores que vivem e amam a sua terra, mas a cidade está completamente abandonada. O que podemos ver é uma saúde pública cada vez mais sucateada, educação ruim, e bairros completamente
abandonados.

Com toda essa situação ruim, resultado da péssima administração na qual a cidade vem sofrendo nos últimos anos, Gabriel Maranhão (PSDB), prefeito
da cidade, que inclusive é o responsável por toda essa situação, pensa apenas na construção de um parque, enquanto desapropria diversas famílias
das casas em que residem a literalmente quase um século.

Maranhão tem provado o que o próprio Tribunal de Contas já disse, que é o pior prefeito de todo o estado. No entanto, ainda há tempo para pensar melhor nas prioridades da cidade. Torço para que um dia eu possa utilizar esse espaço para elogiá-lo, mas do jeito que vai, acho bem difícil.

Acorda, Maranhão!

Notícias relacionadas