Para médico vagabundo, demissão é a solução!

Antes de começar o meu artigo desta semana, quero me desculpar com todos os bons médicos que temos em nossa cidade, que são a gigantesca maioria. No entanto, como em todas as profissões, temos aquele 1% que mancha toda a categoria.

Na última segunda-feira (11), recebemos diversas ligações de pacientes que estavam na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade na espera de atendimento médico, obviamente porque não estavam bem, já que ninguém vai à UPA pra fazer turismo, não é mesmo? Ao chegar no local diversas pessoas vieram até nós para contar suas respectivas histórias. Conversamos com algumas pessoas que nos contaram que os médicos estavam fazendo uma “Operação Tartaruga”, ou seja, estavam atendendo extremamente devagar propositalmente.

Ao invés de atender as pessoas, alguns dos médicos ficavam em seus consultórios utilizando celulares, no computador, enfim fazendo milhões de coisas, menos o que deveriam, pelo menos era o que denunciaram as pessoas. Para tentar averiguar, procuramos alguns dos médicos. Quando nos deparamos com um consultório, onde estava o Doutor Ocilmar Dias do Amaral Junior. Iniciamos a conversa com o médico, quando percebi que ele estava lendo notícias sobre tecnologia em seu computador. Questionado se estava em horário de trabalho, o homem confirmou, o parabenizei ironicamente pela atitude e saí. Foi quando o médico atacou o nosso cinegrafista tentando pegar a nossa câmera. O pior foi que depois disso, os colegas desse agressor se recusaram a voltar aos seus plantões e atender as pessoas. Além disso, o relógio de ponto foi danificado. Tudo isso porque os médicos não querem cumprir horário de trabalho. Não querem trabalhar? Simples, sumam de nossa cidade e vão fazer nada na casa de vocês. Aqui queremos médicos que trabalhem pelos nossos amigos e familiares.

Alguns desses “profissionais” que mancham essa tão sagrada profissão, que é a medicina, se sentem blindados por serem concursados e não existir a opção de demissão imediata. Sugiro à Prefeitura de Ribeirão Pires que abra Processo administrativo contra esses péssimos profissionais e DEMITAM TODOS! Já o médico que agrediu nossa equipe, vai responder na justiça, e torço pra que seja proibido de exercer a medicina. Até porque uma pessoa desequilibrada dessa forma não pode andar em público por aí.

Notícias relacionadas