O papel do jornalista

Não é difícil ver muitos jornalistas, por diversas vezes serem achincalhados por pessoas, na maior parte das vezes políticos, por não concordarem com o que diz em uma matéria. Uma já conhecida frase dita por William Hearst, antigo jornalista norte-americano diz que: “Jornalismo é tudo aquilo que alguém não quer se seja publicado. Todo o resto é publicidade”. Em minha trajetória profissional, sempre levei essa frase como um mantra para a minha carreira.

O papel do jornalista, além de também informar, é questionar, indagar, denunciar e incomodar. A imprensa tem um papel fundamental na sociedade. O famoso magistrado Darcy de Arruda Miranda cita em uma de suas obras que: “A liberdade de imprensa é inquestionavelmente, a luz que ilumina a democracia, o escudo dos fracos e oprimidos, a força impulsionadora dos direitos individuais, e é justamente por isso que se a qualifica como o 4º Poder do Estado. Sua força é a verdade. Sua couraça, a responsabilidade”.

Na última semana, foi possível ver, que mais uma vez, um membro da antiga política da cidade usou sua voz para fazer críticas a jornalistas. O vereador José Nelson de Barros (PMDB) insiste que foi ‘vítima’ dos jornalistas e por diversas vezes ameaçou os profissionais da imprensa.

Sobrou até mesmo pro Datena. O apresentador foi um dos alvos do vereador, que mais uma vez, utilizou sua fala na câmara apenas para falar besteira, como já está muito acostumado a fazer. Além disso, o ‘Zé’ ameaçou todos que publicaram a matéria e se vangloriou com o seu pseudo título de autoridade: “Que se dane, eu tenho o direito da palavra, sou vereador, sou autoridade”.

É com esse perfil de coronel que temos que nos preocupar, não com o jornalismo. Já dizia minha falecida avó: “Quem não deve, não teme”. Precisamos é de menos ‘Zés’ na política.

Notícias relacionadas