Na última segunda-feira (10), a Prefeitura de Ribeirão Pires completou 100 dias sob o comando do prefeito Kiko Teixeira. O DiárioRP entrevistou o prefeito para saber mais sobre as principais dificuldades enfrentadas no município e quais os planos para resolver os problemas dos moradores.

DRP – Prefeito, os moradores da cidade há muito tempo estão descontentes com o abandono dos bairros. O que a Prefeitura está fazendo para melhorar essa situação?

Kiko – Ribeirão Pires passou muito tempo sem os cuidados que precisa para ser atraente para seus visitantes e acolhedora para seus moradores. Desde o primeiro dia da gestão, as equipes da Infraestrutura Urbana e da Regional de Ouro Fino Paulista estão trabalhando na limpeza das ruas, na manutenção de bocas de lobo e galerias pluviais, além dos serviços de cata bagulho. Nesse período, reativamos a usina de asfalto frio, que produz material para tapar buracos das vias. As ruas de paralelepípedo também estão recebendo manutenção. Aos poucos, vamos ampliar a capacidade das equipes para aumentar o volume de serviços nos bairros. Precisamos resgatar as belezas de nossa cidade, com uma boa zeladoria e que a sensação de abandono vivida em anos anteriores fique no passado.

DRP – Muitos serviços públicos estavam parados desde o ano passado. O que mudou de lá para cá?

Kiko – Infelizmente, no início desse ano serviços básicos e essenciais estavam paralisados por falta de pagamento aos fornecedores nos anos anteriores. Foi uma bomba-relógio prestes a explodir que nos deixaram. Nos esforçamos para assegurar aos moradores a continuidade da coleta de lixo, do abastecimento de alimentos para a merenda escolar, além da retomada da manutenção da iluminação pública, de exames que não estavam sendo feitos mais na rede municipal de Saúde, entre outros. A população foi prejudicada no passado, erros que estamos corrigindo dia após dia.

DRP – Qual é o tamanho da dívida da Prefeitura hoje?

Kiko – Os Governos anteriores deixaram dívidas que chegam aos R$ 223 milhões. Somente nos últimos quatro anos, a dívida aumentou em quase R$ 180 milhões. Em linhas gerais, gastaram quase um orçamento à mais. A Prefeitura irá, dentro de suas possibilidades, honrar com os compromissos financeiros. Entretanto, há que se ter cautela, por isso, criamos uma comissão que está analisando minuciosamente os contratos e o que comprovadamente foi executado, pagaremos. Seguindo as leis e zelando pelos recursos municipais. É importante ressaltar que as despesas e compromissos financeiros gerados pela Prefeitura desde janeiro desse ano estão sendo acertados rigorosamente em dia.

DRP – A Administração está pagando o que foi deixado de dívida pela gestão do Saulo?

Kiko – Logo nas primeiras semanas, a Prefeitura desembolsou R$ 2,4 milhões do orçamento desse ano para pagar funcionários e ex-funcionários municipais. Destinamos quase R$ 1 milhão para o pagamento em atraso das entidades sociais do município, que estavam sem receber desde o final do último ano. Temos um longo caminho pela frente. A gestão anterior deixou de arcar, inclusive, com os compromissos com o Instituto de Previdência da cidade e o Nacional. Isto é apropriação indébita, crime. Esse absurdo tamanho causou grande problema e estamos trabalhando para solucionar este imbróglio tremendo. A resolução disto é essencial para a cidade ter as certidões que precisa para receber dinheiro de convênios do governo estadual e federal. Não começamos a governar do zero, como muitos dizem. Começamos do menos cinco.

DRP – O que a Prefeitura está fazendo pra sair do vermelho?

Kiko – É importante a pergunta, até porque quem governa olhando o retrovisor só percebe seus próprios erros quando eles se passaram. Todas as ações saneadoras que visam reequilibrar nossa cidade foram tomadas, é preciso alertar a situação que encontramos, mas não nos acanharemos, isso só nos motiva a prosseguir. Não há outra receita que fuja de trabalho, trabalho e mais trabalho. De janeiro até hoje, buscamos uma agenda positiva, captando novas parcerias que já deram resultado, como o treinamento da Guarda Civil Municipal pela CBC e o Centro de Treinamento Tático, que não custou nada para os cofres públicos. Tivemos também a abertura de 350 vagas de novos cursos esportivos para crianças e jovens da nossa cidade, em um convênio assinado com o SESI. Outras parcerias, com o CAMP SBC, com órgãos do governo estadual e federal, também estão sendo discutidas e estão em andamento para trazer bons frutos para cidade, sem um único centavo dos cofres da prefeitura. São provas de que é possível fazer muito com pouco, já fizemos isso quando governamos e aqui estamos no mesmo caminho.

DRP – A saúde pública é há muito tempo alvo de reclamações? O que a população pode esperar para o setor?

Kiko – Apesar de as nossas realizações não terem ainda a grandiosidade e o impacto que gostaríamos, em poucos dias de governo devolvemos aos moradores a realização dos exames de sangue e de prevenção ao câncer de útero (papanicolau) nas UBSs. Além disso, estamos promovendo mutirões de ultrassom, raio-x e de transvaginal para zerar uma fila de quase quatro mil pacientes que aguardavam desde o ano passado para fazer esses exames. A reestruturação do atendimento prestado nas unidades da rede, a contratação de médicos e profissionais para o setor, a reativação da Ouvidoria Municipal de Saúde e a intensificação das campanhas de prevenção às doenças também são avanços nesse período. Um novo tempo começou para a saúde dos nossos moradores. E aos poucos vamos consolidar as ações e melhorias previstas em nosso planejamento.

DRP – E no turismo, o que tem sido feito? Pouco se fez nos últimos anos no setor, mesmo com os rumores da chance de a cidade perder o título de Estância.

Kiko – Assim como em outras áreas, muitas pessoas se cansaram de acreditar em projetos faraônicos que não saíram do papel nesses últimos anos, como o Teleférico. Foram tantos as irregularidades e os problemas cometidos que a Prefeitura deixou de receber recursos do governo do estado para o turismo nos últimos dois anos. Estamos trabalhando para reverter esse quadro, zerar nossas contas com o Estado e voltar a receber verba para fazer projetos possíveis, mas que trarão benefícios para o turismo e o comércio local. Temos, por exemplo, a aprovação do Conselho Municipal de Turismo para dar andamento a projeto de Boulevard Gastronômico. Paralelamente a isso, estamos cuidado do patrimônio municipal, dos pontos turísticos como a Igreja do Pilar, dos mirantes do Santo Antônio e São José, da Vila do Doce, entre outros. Além disso, estamos resgatando as tradições da cidade, como o Desfile Cívico, e as raízes da Festa do Pilar. Isso faz parte da valorização das belezas da cidade, de sua riqueza histórica e cultural e de nosso potencial turístico.

DRP – Como avalia seus primeiros 100 dias de Governo e o que a população pode esperar para os próximos meses?

Kiko – Apesar das grandes dificuldades que encontramos, estamos cuidando da população, cuidando dos nossos bairros, dos patrimônios de Ribeirão Pires, para resgatar o orgulho dos moradores em viver aqui. Na saúde, na segurança pública, no trânsito, na modernização administrativa e na gestão responsável dos recursos públicos. Em todas as áreas, estamos trabalhando para recuperar o que foi perdido e devolver para a população de Ribeirão Pires o orgulho de morar em uma cidade bonita, cuidada, com serviços públicos de qualidade. Os resultados desses esforços começam aos poucos a aparecer. E os avanços que conquistamos nesses 100 primeiros dias são a demonstração do que estamos dispostos e vamos fazer pela cidade nesse e nos próximos anos. Iniciamos agora as mudanças que marcam um novo tempo para nossa gente.

Este slideshow necessita de JavaScript.