Vereadores criticam veto à CPI da saúde

Vereadores devem entrar novamente na pela CPI da Saúde. (Foto: DiárioRP)

Na última semana, o desembargador Kleber Leyser de Aquino, foi contra a decisão da juíza Isabel Cardoso de Cunha Lopes Enei, que determinava que a CPI da Saúde fosse instalada imediatamente. Na justificativa, Aquino, disse que as investigações poderiam atrapalhar o andamento das Eleições Municipais de 2016.

Autor do requerimento que pede à Câmara dos Vereadores que se crie uma Comissão Parlamentar de Inquérito Renato Foresto (PT), não aprovou a medida imposta pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

“Isso é um absurdo. Um desembargador que nunca pôs os pés em Ribeirão Pires, que nunca deve ter lido uma notícia sobre a cidade, usa como justificativa que a CPI pode atrapalhar a eleição? E como ficam as pessoas que esperam e que morrem pela falta de estrutura da saúde?”

– Criticou Foresto.

Gabriel Roncon (PTB), um dos integrantes do grupo que entrou na justiça para dar andamento à Comissão Parlamentar, engavetada pelo Presidente da Casa de Leis, José Nelson de Barros (PMDB) desde setembro de 2015, afirmou que vai procurar mais recursos legais para que a saúde da cidade seja investigada.

“Com certeza nós vamos procurar pela justiça novamente por conta da CPI. A gente sabe da situação desesperadora em que a Saúde de RP se encontra.”

– Enfatizou Roncon.

Notícias relacionadas