Moradores de RP beberam água contaminada sem saber

Foto: Marcos Santos / USP Imagens
Foto: Marcos Santos / USP Imagens

As cidades do Grande ABC, que recebem água do sistema Rio Claro, dados da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) podem estar com a água contaminada. Foi detectado a presença de agrotóxicos como Aldicarb, o popular chumbinho. A defensoria pública de Santo André coletou denúncias de contaminação que o abastecimento seria impróprio para a população.
Conforme o TASQA Serviços Analíticos Ltda, as amostras feitas não atendem aos padrões da Portaria 2.914/2011 do Ministério da Saúde em relação aos parâmetros analisados Aldicarb sufona.

A contaminação ocorreu em 2013, mas só veio a público esta semana por conta de denúncia feita pela Defensoria Pública de Santo André. O defensor público Marcelo Novaes, responsável pela denúncia, alega que o laudo confirma claramente que a água ”é imprópria para consumo humano devido o nível de agrotóxico e metal pesado”.

Para Novaes, a empresa deveria fazer analises periodicamente, mas o controle é feito de forma semestral, o que torna demorado o acompanhamento da qualidade da água.

Já a Sabesp ressalta que as informações sobre as análises de qualidade da água são impressas nas contas encaminhadas mensalmente às residências dos clientes – conforme determinações do decreto presidencial 5.440/05. Além disso, ressalta que a água distribuida à população está dentro dos parâmetros exigidos pela portaria 2.914/2011 do Ministério da Saúde.

A prefeitura de Ribeirão Pires, informa que realizou uma palestra e esclareceu os munícipes sobre a transposição do Rio Tietê e o que poderia causar no abastecimento. Mas não comentou do sistema Rio Claro.

Notícias relacionadas