Circuito SESC de Artes 2015 chega a Ribeirão

Por Luana Scomparim*

Reprodução / Facebook.

Prepare-se! O Circuito SESC de Artes – Conectando Lugares, Circulando Ideias chega ao centro da cidade nos próximos dias.

O circuito é uma proposta de intervenção ao acesso à cultura, por meio de uma programação com atividades em segmentos artísticos, em parceria com os municípios. Nesta edição, percorrerá 108 cidades, em 12 roteiros.

Ocorrerá no dia 24 de abril, na Praça Central Ernest Solvay (Vila do Doce), Rua Boa Vista, sem número, das 17h às 22h. Serão desenvolvidas atividades no âmbito do teatro, circo, música, literatura e artemídia. A entrada é gratuita!

 

Confira a programação para a Estância:

 

Literatura: Banho de Leitura (MUDA Práticas de Leitura)

No Banho de Leitura, encontre uma seleção de livros de poesia, contos, crônicas e livros ilustrados. Traz a participação de mediadores de leitura que estimulam a troca de histórias entre o público.

Foto: Divulgação / SESC.

Com rodinhas, a banheira pode ser deslocada, ocupando cenograficamente uma praça ou um parque. Além disso, há também cangas de chitão, banquinhos dispostos ao redor e um guarda-sol para proteger os leitores.

  • Curadoria, Produção e Coordenação: Heloísa Sobral;
  • Concepção, Projeto Cenográfico e Design: Laura Sobral;
  • Cenotecnia: Leonardo Armellin;
  • Letrista: Felipe Grimaldi;
  • Mediadores de Leitura: Equipe Muda Práticas;
  • Realização: MUDA Práticas Culturais e Educativas.

 

Foto: Divulgação / SESC.

Artemídia e cultura digital: Roda Viva (Raphael Escobar)

O artista Rafael Escobar apresenta sua invenção: uma caixinha de música com uma hélice que funciona como um cata-vento. Quem dá corda é o participante, que terá de girar, girar, girar até ficar zonzo. Quando ele para, a música termina também e outra pessoa o substitui.

  • Concepção e Criação: Rafael Escobar.

 

Teatro: São Jorge Menino (Cia. São Jorge de Variedades)

Diante de portas, janelas e do asfalto da rua, desenvolve-se a história da legendária figura de São Jorge, numa criação do dramaturgo Ilo Krugli, feita especialmente para a Cia. São Jorge. A história começa com o anúncio da inauguração de uma estátua de São Jorge. No dia do festejo, um menino é encontrado dormindo e confundido com a figura do santo.

Foto: Divulgação / SESC.

Tendo a música como elemento narrativo, a peça toca em assuntos do cotidiano, como o trabalho alienado e a infância abandonada. A companhia conta com 15 anos de existência e realiza trabalhos voltados para o público infantil e seus familiares.

  • Dramaturgia: Ilo Krugli;
  • Direção: Rogério Tarifa;
  • Direção Musical: Lincoln Antonio;
  • Composições Musicais: Jonathan Silva;
  • Elenco: Adriana Aragão, Daniela Biancardi, Jonathan Silva, Lincoln Antonio, Marcelo Reis, Mauricio Damasceno, Patrícia Gifford, Rodrigo Ramos, Rogério Tarifa e Vera Lamy;
  • Figurinos: Anahí Santos;
  • Produção: Isabel Soares;
  • Cenotécnicos: João Attuy e Edson Luna.
  • Duração: 90 minutos.

 

Circo: Malabarismo é Música para os Olhos (Cia. Super Circo)

Um malabarista de farol, que chegou a se apresentar na Broadway. Essa é a história que serve de fio condutor para um belo espetáculo interativo de malabares.

Foto: Divulgação / SESC.

A trama dessa narrativa, cheia de magia e humor, se desenvolve da seguinte maneira: malabarismo de seis claves, performance coletiva de coordenação motora, cena interativa com sete bolas, esquete com seis argolas, quadro com instrumentos musicais e performance com maçãs.

Com esses números e elementos em cena, o espetáculo faz uma lírica e lúdica homenagem visual à musicalidade que o malabarismo proporciona na sua superação diária dos desafios que a gravidade impõe.

  • Direção: Giovana Assumpção;
  • Atuação e Roteiro: Richard Ruppelt;
  • Cenografia e Figurino: Silvana de Cássia;
  • Fotos e Vídeos: Renato Belluomini;
  • Produção e Coordenação: Michael Cebalos.
  • Duração: 55 minutos.

 

Música (Rael)

Foto: Divulgação / SESC.

Ex-integrante do grupo de rap Pentágono, o rapper Rael apresenta o seu mais recente trabalho, Diversoficando, em que concretiza um desejo de seus fãs: músicas em formato acústico, como no caso de Ser Feliz e o hit Envolvidão.

Em 2014, o rapper colocou sua música nos muros de São Paulo e Rio de Janeiro. Quem passava por esses lugares precisava apenas plugar o próprio fone de ouvido num dispositivo nas paredes para começar a ouvi-las. A iniciativa virou notícia de Norte a Sul do Brasil, e a música saindo pelas paredes conquistou os fãs antes mesmo de o EP ser liberado para download gratuito e streaming no YouTube.

Com letras diretas e contundentes, falando da realidade e do cotidiano do país.

  • Com: Rael (voz e violão), Bruno Dupré (guitarra), Bruno Marcucci (teclado), Rafael da Costa (baixo), Felipe da Costa (bateria) e DJ Soares (toca-discos).
  • Duração: 75 minutos.

 

* Formada em Administração e pós-graduanda em Gestão de Projetos Sociais em Organizações do Terceiro Setor. Trabalha como assistente financeira e administrativa, e é apaixonada por eventos culturais.

Notícias relacionadas