Restaurante vegetariano inaugura em Ribeirão

Por Osvaldo de Brito.
11004861_817160111653442_1848318064_n
Equipe responsável pela CASA VIVA (Foto: Osvaldo de Brito / DiárioRP)

A comunidade da região passa a contar com mais uma opção de alimentação. Inaugurado em dezembro de 2014, em Ribeirão Pires, a CASA VIVA é um empreendimento de economia solidária, isto é, não há um chefe ou um gerente como único responsável pelas atividades. O local abriga loja de alimentos naturais, restaurante de comida vegana e feira de produtos orgânicos. Cada um dos oito integrantes envolve-se em afazeres com os quais tem afinidade, de acordo com suas capacidades, sendo, assim, o responsável pelos serviços e produtos oferecidos.

Lílian e Sidnei Leão são responsáveis pela feira de produtos orgânicos que acontece aos sábados. De acordo com Sidnei, “as pessoas têm medo do orgânico, acham que o preço é muito superior em relação ao não orgânico, o que não é verdade.”

Ele consome produtos orgânicos há cinco anos. Decidiu deixar o emprego de técnico de segurança para se dedicar integralmente à venda dos produtos – inicialmente em Mauá, posteriormente em Ribeirão Pires. Além da feirinha, onde são vendidos legumes, frutas e hortaliças, o casal também comercializa linha de industrializados orgânicos no espaço permanente.

Em média, as verduras custam R$ 3,50 – mesmo valor dos não orgânicos nas diversas feiras-livres da região. Contudo, “as frutas, às vezes, custam um pouco mais, [pois] aqui tudo é vendido por quilo e não por unidade. A duração dos produtos também é maior”, esclarece o vendedor.

O bancário Rafael Pereira, diz que soube do espaço através da placa que divulga os serviços oferecidos:

Já há alguns anos consumo produtos orgânicos, o que me motivou foi a preocupação com a saúde, e isso reflete na própria alimentação.

11020273_817160864986700_436168780_nDiariamente, são servidas refeições para serem consumidas no local, ou marmitas entregues no endereço informado pelos clientes. Lucas Gonçalves e Fran Pianta cuidam do cardápio que é disponibilizado toda noite no grupo CASA VIVA, no Facebook, informando as opções do dia seguinte. Um prato-feito custa 15 reais, o mesmo valor da marmita. Num sábado do mês de fevereiro, espinafre com biomassa de banana verde, com opções de molho de shitake ou ao sugo, hambúrguer de kinoa e salada foram servidos. Numa segunda-feira, arroz (integral ou branco), feijão, quiabo, hambúrguer de berinjela e salada fizeram o gosto dos fregueses:

Geralmente, às quartas-feiras temos a feijoada vegana, às quintas comida árabe e comida brasileira na sextas-feiras, tudo com produtos orgânicos.

– diz Fran.

A comida vegetariana e a vegana, embora tenham semelhanças, também guardam diferenças. Conceituar uma e outra pode incorrer em muitos erros pelo fato de que, em cada grupo, há outros subgrupos. Deste modo, uma diferença é reconhecida: enquanto os vegetarianos não consomem carne, os veganos vão além, e não se alimentam de leite, ovos e seus produtos derivados.

Fran Pianta, que também é formada em Artes Visuais, tornou-se inicialmente vegetariana há mais de dez anos, e, depois, vegana. Para ela, os alimentos orgânicos e a cozinha vegana respeitam o ciclo da natureza, ou seja, consumem os alimentos da época.

A mesma visão é compartilhada por Sidnei Leão, que exemplifica:

no suco detox, se não é época de gengibre, nós não vamos tê-lo, porque só usamos produtos orgânicos mesmo, então, podemos usar açafrão da terra na substituição do gengibre porque são da mesma família.

Dentre os aperitivos, a coxinha vegana é preparada com massa à base de água, farinha de trigo, óleo e açafrão; não se usam ovos nem leite. O recheio é feito com jaca verde, que, depois de temperada, tem gosto próximo ao do palmito.

O suco detox, que age como desintoxicante e antioxidante, tem conquistado espaço na dieta dos brasileiros. É muitas vezes conhecido como suco verde, por causa das folhas de couve que compõem a receita e dão cor à bebida. Outros sucos detox ainda são pouco conhecidos: o suco amarelo tem maracujá, manga laranja e açafrão da terra; o suco vermelho, melancia, hortelã, gengibre mais alguma outra fruta vermelha. Na CASA VIVA, custam R$ 10 cada.

A CASA VIVA está localizada na Avenida Francisco Monteiro, 427 (ao lado do McDonald’s).

 

Notícias relacionadas: